Livros de 2009

Vou convenientemente ignorar que já passamos da metade de 2010.

§ A Equação que Ninguém Conseguia Resolver (Mario Livio): eu adoro livros de história da matemática… este conta toda a história por trás das tentativas de achar fórmulas que dêem as soluções de equações de quinto grau. Muito interessante.

§ Ballad of a Shinigami 1 e 2 (K-Ske Hasegawa): light novels que viraram o anime Shinigami no Ballad. É um pouco mais aprofundado que o anime, o que é interessante, em especial o surgimento de uma nova personagem quase rival à Momo. Pena que vou ficar sem saber o resto, porque foi cancelado lá nos EUA :(

§ Norwegian Wood (Haruki Murakami): meu primeiro livro do Murakami. Não me atrevo a fazer uma crítica aprofundada dele, mas posso dizer que gostei muito. Conta a história de um estudante e sua relação com a namorada de seu melhor amigo, amigo este que se suicidou tempos antes.

§ Minha Querida Sputnik (Haruki Murakami): outro livro excelente. Conta a história de Sumire e de sua primeira paixão, narrado por “K”, seu melhor amigo. É basicamente um livro sobre solidão, a distância entre as pessoas – o título é uma alusão ao satélite russo, isolado no espaço.

§ As Variedades da Experiência Científica (Carl Sagan): sou fã babão do Sagan mas devo dizer que, apesar desse ser um bom livro, ele pouco me marcou. Acho que como Dawkins, ele se sai melhor falando de ciência e de sua área, no caso, astronomia.

§ Pirâmides (Terry Pratchett): Discworld é Discworld, nem tenho mais o que dizer :)

§ Surely You’re Joking, Mr. Feynman! / O Senhor Está Brincando, Sr. Feynman? (Richard Feynman): Feyman foi um dos mais importantes físicos da história, mas algo que o destaca dos demais é a sua personalidade única e extrovertida. Esse livro é uma reunião de “causos”, e com ele você conhece um pouco da incrível vida dele. Inspirador, para dizer o mínimo. Um dos “causos” mais interessantes é sobre quando ele veio dar aula no Brasil, e conta como os alunos daqui abordam o aprendizado de uma maneira totalmente estapafúrdia. Esse capítulo é tão bom que insisto que leiam, tem pela net em português. O livro tem edição em português, mas por algum motivo é caríssima.

§ QED: The Strange Theory of Light and Matter (Richard Feynman): depois do livro acima, tive que ler algum livro de física dele. Este tenta explicar a eletrodinâmica quântica para “leigos informados”. Como eu li o livro como se tivesse lendo um livro comum, fui ignorando o que não entendia, mas mesmo assim é bastante interessante. Ele mostra como a luz é uma coisa totalmente bizarra. Um trecho interessante (peço desculpas se falar besteira, faz tempo que li :P) foi ele comentando que a luz sempre tenta achar o caminho mais rápido – mesmo que ele não seja o mais curto! Um exemplo são as miragens: elas são imagens do próprio céu, que você enxerga como se estivesse no chão, no horizonte. Isso ocorre pela variação na refração do ar quente, que permite que a luz vinda do céu faça uma “curva” no ar permitindo você observá-la de um ângulo que normalmente não é possível. O estilo do Feynman de explicar as coisas é bastante interessante, sempre exemplificando tudo com experimentos mentais. (Sempre achei que se todo livro científico tivesse exemplos o suficiente, a humanidade avançaria no dobro da velocidade.)

§ Welcome to the N.H.K. (Tatsuhiko Takimoto): é a light novel que deu origem ao anime, o qual ainda não assisti. Ele conta a história de um hikikomori que inventa que existe uma conspiração que é culpada por ele ser tão fracassado. Já deve ter dado para perceber que gosto de personagens desajustados, e esse é um excelente exemplo :)

§ Onde está o Wally? A Grande Caça aos Quadros (Martin Handford): eu adorava os livros do Wally quando era criança, e quando vi que tinham lançado um novo recentemente, não resisti. É muito legal ficar viajando nas imagens vendo acontecimentos aleatórios. E é claro, procurar Wally e companhia.

§ The Left Hand of Darkness / A Mão Esquerda da Escuridão (Ursula K. Le Guin): comecei a ler os livros dela por causa de Earthsea, mas gostei tanto que estou lendo os demais. Esse faz parte do “Ciclo Hainish”, de ficção científica. Conta a história de Genly Ai, um emissário de uma liga interplanetária a um planeta recém descoberto. Neste planeta, os habitantes não têm sexo definido; eles só tomam identidades sexuais uma vez por mês, nos dias em que se relacionam sexualmente. O livro explora as possíveis consequências deste fato curioso: por exemplo, não há guerras de grande escala nesse planeta (de fato, sempre achei que 99% das guerras foram causadas por excesso de testosterona). A Le Guin é uma excelente autora, e sabe explorar muito bem a sua premissa. A ausência de sexos não é o ponto único da obra: ela explorar a ausência de dualidade de uma modo geral; por exemplo, esse planeta passa por um inverno constante, tanto que é chamado de “Inverno” pela liga. Isso se reflete no título do livro, cujo sentido é revelado no final da história.

Comprei o livro na Amazon, mas recentemente a editora Aleph relançou ele no Brasil.

§ The Dispossessed / Os Depossuídos (Ursula K. Le Guin): acredito que é meu livro favorito da Le Guin até então. Também do Hainish Cycle. A história se passa em dois planetas habitados que giram ao redor um do outro, Anarres e Urras. Anarres é habitada por uma colônia anarquistas, exilados de Urras após uma revolução. O livro conta a história de Shevek, um físico de Anarres que decide visitar Urras para divulgar suas pesquisas (de modo geral, a ida de pessoas de um planeta a outro é proibida). O interessante do livro é a especulação de como seria uma sociedade anarquista. A sociedade que ela mostra é muito interessante, onde todo e qualquer conceito de propriedade, posse é negado (daí o título). Para ilustrar até onde vai isso, por exemplo, em Anarres você não chama sua mãe de “sua mãe”, e sim “a mãe” – afinal, ela não é sua, não existe posse! De fato, uma sociedade sem o conceito de posse parece ser algo muito interessante, pena que dificilmente um dia se tornará real. Claro que nem tudo é perfeito, e a Le Guin também mostra os lados ruins de tal regime. Também é interessante ver a reação de Shevek, criado desde criança neste sistema, ao chegar em Anarres, em um país totalmente capitalista (A-io, referência aos EUA); ao ser levado a um shopping ele não se conforma em como tudo é etiquetado com um preço. Enfim, recomendo fortemente. Ele foi publicado no Brasil, mas saiu de circulação.

2 comentários sobre “Livros de 2009

    1. Oh my God, he is alive!!! Adorei as dicas de livros! Wally rules. Acho que quando der, vou ler “The Left Hand of Darkness”. Interessante, pelo visto!

      Natalya ♥: Ah! Olha que coincidência!!! Pensei em sugerir a mesma trilogia! Estou ansiosa pra lero o terceiro livro, mas a $$$ tá curta e vou esperar dar uma baixada no preço. Tava meio caro na Saraiva antes, mas agora tá em torno de R$34,00.
      Viu os filmes baseados nas obras? Fui lendo e vendo os filmes…

Deixe uma resposta