Erasing Myself

Jinn, personagem de Seiken Densetsu

 

Muitos anos atrás, quando eu postava bastante aqui, eu vivia uma vida “dupla” – o “Jinn” (meu nick antigo. Lembram quando pessoas tinham nicks?), meu eu da internet, e o Conrado, meu eu da vida real. Por vergonha, sempre morri de  da possibilidade de alguém da vida real descobrisse meu blog e outras coisas do Jinn. Pura vergonha, e obviamente besteira, mas coisas de ser tímido. (É curioso como todo tímido, no fundo, é extremamente arrogante por achar que todo mundo está obcecado com sua vida para poder ficá-la julgando o tempo todo. Lógico que reconhecer isso não ajuda em nada. (Lembrando agora, alguém melhor escritor já apontou isso (Note como estou evitando passar a impressão de que minha observação é muito perspicaz ao apontar que alguém já tinha observado isso. (Em resumo, ser tímido é usar parênteses demais))).

O tempo passou, fui amadurecendo (risos), e percebi que me preocupava à toa. Até botei meu nome verdadeiro aí do lado no blog, e um link para meu site pessoal “normal”. (Mas não o nome completo, é claro, não preciso facilitar tanto. Pensando melhor, acabei tirando o link.)

Decidi viver uma vida só, e o resultado disso, como pode-se perceber, é o blog às moscas e a morte do Jinn.

Tenho um twitter (do Conrado) onde praticamente não posto nada. Como poderia? Entre meus seguidores tenho gente da comunidade de segurança da informação, colegas de trabalho, amigos da faculdade, e até alguns amigos do Jinn. Como eu poderia postar algo sobre anime e mangá se o pessoal de segurança da informação está lendo? Por que postaria algo de segurança de informação se isso é irrelevante para os amigos fora da área? Não quero incomodar ninguém.

Pensei em criar um segundo twitter para frivolidades e deixar o original para serious business. (Mas eu lá tenho gente interessada nas frivolidades? Que presunção a minha. Melhor deixar assim.)

E assim fui apagando a mim mesmo, pouco a pouco.

Quando leio as coisas que o Jinn escreveu há 10 anos atrás, (o que é fácil para qualquer um usando os arquivos ali do lado, mas prefiro não pensar muito nisso) sinto aquela sensação de “quem era aquela pessoa”? Mas também fico um pouco triste, porque apesar de algumas tosqueiras, o Jinn me parece uma pessoa um pouco mais interessante da pessoa que sou hoje: uma intersecção do que todas as pessoas que conheço esperam que eu seja.

Um comentário sobre “Erasing Myself

  1. Rapaz, certeza que eu lia esse blog há uns 10 anos atrás. Acho que vc escrevia bastante sobre Tsubasa ou xxxHolic, já não me lembro, mas sei que era esse blog por causa do domínio (SEMPRE escrevia errado o endereço, black rabbit u.u). Esbarrei novamente aqui pq estou (re)vendo Karekano e fui à procura de blogs que tivessem resenhas do anime. Eu também inha essa mesma relação com meu eu online e o eu da vida real… Enfim, nessas horas que é bom crescer. Bom saber que isso aqui ainda existe e resistiu até 2015, mesmo que pouco atualizado =)

Deixe uma resposta