Last night he was hit by a car

Da série “nunca prestei atenção na letra até agora”, algumas músicas da Miz. Conheci ela por cantar o tema de Grandia III, viciei, e obviamente ela parou de cantar. Oh well.

Em Story Untold, estranhamente uma música com jeito feliz / esperançoso:

There was a man
Poor and homeless
I read he won the lottery
He bought a house
Got married had it all
Last night he was hit by a car
Suddenly your world can turn upside down
Life’s a roller coaster ride

Ouch.

Em You Can Do Anything:

She’s just the ordinary girl
You see everyday
She cuts her arms in different ways
She keeps her paintings on the wall
Turned the other way
Coz she’s afraid of what people might say

(…)

She’s like the average type of girl
You meet everyday
She’s tried 4 times to end her life
She keeps her secrets to herself
Won’t let nobody in
Coz’s she afraid of what they might find

Caramba.

ORESKABAND no Brasil! & Hot Number

Integrantes do ORESKABAND

ZOMFG. A ORESKABAND vai tocar no Anime Friends, no dia 14.  *grita histericamente feito uma menininha*

Sou fãzaço dessa banda somente de garotas que tocam o Ska que acho ideal: bem animado e sem punk. Inclusive contei a tocante história de como as conheci, 6 anos atrás (!). Até agora não conheci nenhuma outra banda de Ska que chegasse ao mesmo nível. Claro que a maioria as conhece dos encerramentos de Naruto e Bleach, mas elas são muito mais que isso (#hipster).

Sempre sonhei em alguma banda japonesa que eu gosto tocar por aqui, e acreditava que a única que tinha chances era a ORESKABAND: não é tão famosa a ponto de ser muito cara pra Yamato, mas é relativamente conhecida por causa de Naruto e Bleach. Acertei em cheio. Só não acredito que demorei tanto pra ficar sabendo, foi anunciado há mais de um mês — acho que me trucidava se deixasse passar. Obrigado, comentarista aleatório do blog da Mara.

(Falando em Yamato, devo dizer que dá um desgosto ter que dar dinheiro para eles, por mais boa que seja a causa. Ridículo ver que eles ainda recrutam voluntários que não recebem NADA, enquanto eles ganham rios de dinheiro. Sem contar o ridículo sistema de compra de ingresso online: um formulário tosco descriptografado, que no fim você precisa fazer um depósito e escanear comprovante, pagando mais uma taxa de oito reais.)

Para ir aquecendo a expectativa, alguns comentários do último mini álbum delas, o Hot Number.

Continuar lendo “ORESKABAND no Brasil! & Hot Number”

Fallen Angel

Dat bass.

Essa é daquelas músicas que te deixam triste por te fazer achar que você nunca vai ouvir uma música tão boa e viciante no mesmo estilo. (Obviamente, algum tempo depois, você acha de isso de outra música, e de outra…)

Maaya Sakamoto – More Than Words

Capa do More Than Words

Esse single chamou a atenção pois é composto pela Yoko Kanno e com letras da Yuuho Iwasato, como nos tempos áureos de Yakusoku wa Iranai.

A faixa principal, “More Than Words”, é o tema do OVA de Code Geass. É uma música “difícil”, não tem cara de single… mas depois que acostuma, acaba gostando. Lembra um pouco das músicas “etéreas” das antigas, como Sanctuary e Dive. A letra é melancólica:

Isn’t ‘Freedom’ sad?
You’re all alone now, aren’t you
Isn’t ‘Freedom’ sad?
Until the end

Porém, para mim, o grande destaque é do lado B, “Dekoboko March (Tairetsu wa kimi ni tsuzuku)”, algo como “Marcha Irregular (A tropa leva a você)”. Como diz o nome, a música é tem batida de marcha, e acho que esse tipo de batida fica bacana em músicas pop/rock (exemplo: The Island March, do Suemitsu & Suemith). Ao contrário da More Than Words, é uma música bem animada e viciante. Para completar, a letra é ótima: no começo, parece que ela fala sobre como você percorre a sua vida com a ajuda de seus amigos, etc e tal:

The ranks march forward and onwards
You walk on, taking all of the others with you
No matter if you get lost on the road or if your back is unreliable
Everyone believes in you

Até que no último verso, descobrimos sobre quem é de fato:

I walk on, I walk on with all of my different selfs
Wiping sadness’ tears and holding hands with joy, we’ll continue walking together

Pra terminar na nostalgia, uma faixa secreta, que é uma gravação de “Kinobori to Akai Skirt” ao vivo. (A música já tem 11 anos… deuses.) Até então nunca tive curiosidade para ver a tradução da letra e vou confessar que não saquei o significado dela…

Do As Infinity: Rumble Fish

Como já devo ter comentado aqui, não costumo prestar atenção nas letras das músicas que ouço (o fato da maioria dela ser em japonês não ajuda, mas acontece até com músicas em português). De vez em quando bate uma curiosidade e frequentemente acho coisas interessantes. O mais recente exemplo é a Rumble Fish, do Do As Infinity.

httpv://www.youtube.com/watch?v=diHFxAqTPgI

A letra é bacana e tem uns temas que gosto bastante: a dificuldade de crescer sem esquecer o seu verdadeiro eu (como em A Viagem de Chihiro), o poder das palavras e sua incapacidade de expressar sentimentos corretamente (como em xxxHOLiC e Earth Girl Arjuna), o paralelo da vida com um labirinto (como em Full Moon wo Sagashite: “An endless maze… this is our dungeon”).

“Rumble Fish” são os peixe Betta, também conhecidos como peixes de briga devido à sua agressividade com os peixes da mesma espécie. Também existe um livro (depois adaptado para o cinema por Copolla) com este nome, onde o Betta serve como o simbolismo principal.

Segue a tradução para o inglês. Em negrito minhas partes favoritas.

The deserted street
Heartlessly leaves me behind as I make my beginning…
Will it still be there tomorrow, or will it have run away?

Everything I see
Does nothing but confuse me.
It’s ironic; the more I put it into words,
The more tangled up my heart gets.

I pray that I don’t drift away, get swept away, lost in a dream…

In the deserted streets,
The early morning quietly cast my shadow…
Will it still be there tomorrow, or will it have run away?

If I could find the thread of fate,
And grab it with my own hands,
I pray that I can be myself
Until I reach a sea of freedom.

We decide the truth with our hearts;
When we make mistakes, time stops.
We’re made to dance
Through a life full of sharp points.

Why is it that when we gain something, we lose something else?

Lashed by the merciless rain,
I feel like I’m about to be crushed —
But still I keeping wandering through this huge maze.

The deserted street
Heartlessly leaves me behind as I make my beginning…
Will it still be there tomorrow, or will it have run away?
I pray that I can be myself now.

10W40

Eu sempre achei estranho o nome da música 10W40 do Do As Infinty. Bricks were shat quando me toquei que a Tomiko de fato canta “ten W forty” nela (eu tenho o hábito de não prestar atenção em letras de música…). Lembro de ter pesquisado a tradução dela e não ter encontrado, e fiquei sem saber de onde diabos vem esse 10W40 — é um tipo de óleo para motor, mas hein?

Bom, hoje achei a letra da música, e é realmente sobre o óleo para motor.

Lendo a letra até faz sentido: é sobre um casal com um relacionamento complicado e o óleo seria um simbolismo para o que mantinha o relacionamento funcionando (insira insinuação sexual aqui). Até que o óleo acaba, e eles se separam.

OK, não faz tanto sentido assim.

Mas a música é bacana.

Okkusenman! Okkusenman!

“Omoide wa Okkusenman!” (“Memórias não têm preço”) é, antes de tudo, um símbolo do poder de colaboração da internet. Ele começou como um arranjo da música do castelo do Dr. Wily no Megaman 2 (que por si só é sensacional). Aí outra pessoa adicionou uma letra para a música. Aí outra pessoa cantou a letra. Aí outra pessoa fez uma animação para a música. Aí outra pessoa traduziu a letra para o inglês e colocou legendas. E o resultado é:

Uma música profunda sobre a nostalgia da juventude e as complicações da vida adulta. Ou algo do gênero. O ápice, contudo, é o cover do JAM Project (aquela banda dos tiozões):

Totalmente excelente.

(Você agora está com a música grudada na cabeça.)

Aleatoriedades musicais de 2009

§ O Shota Shimizu lançou um single onde uma das faixas é um arranjo do tema de 600 AD de Chrono Trigger! Gostei da versão, você pode baixá-la aqui.

§ O soundtrack de Katamari Forever (ou Tribute) é muito bom, e tem vários remixes de músicas anteriores. Destaques vão para Katamari on the Wings cantada pelo vocalista do Sukima Switch, Everlasting Love + You pela Leah Dizon, e a A Crimson Rose and a Gin Tonic (YMCK 8bit Mix) que como o nome diz, é um chiptune! Você pode achá-lo nos fóruns do FFShrine (precisa cadastrar).

§ Baixei o Ken’s Bar II, álbum de covers do Ken Hirai, e gostei muito da faixa Wakare Uta, cantada com o vocalista do Spitz. Pesquisando, descobri que a faixa é de uma cantora famosa no Japão, Miyuki Nakajima. Baixei alguns álbuns dela e são todos muito bons – ela é do tempo do pop japonês antes de virar chicletento (em geral), e tem uns toques de enka. Vale a pena ouvir:

§ Da série “por onde anda?”: a vocalista do Changin’ My Life, myco, que cantava as músicas do anime Full Moon wo Sagashite, estava meio sumida após acabar a banda e lançar somente um CD em carreira solo. Agora ela está numa banda chamada Quintillion Quiz, com um estilo totalmente diferente.

§ Da mesma série: lembra da GUMI, que cantava a abertura de Cardcaptor Sakura, Catch You Catch Me? Mudou o nome artístico para meg rock e agora canta pop-rock chicletento. Aqui ela na abertura de Asu no Yoichi, deste ano:

§ O eterno Dreams Come True continua vivo, com um álbum lançado no começo do ano celebrando os 20 anos (!) da banda. Este álbum possui um CD com as melhores músicas da banda, escolhidas pelos próprios fãs. Eles lançam um single novo essa semana.

§ Eu nunca me interessei muito em baixar shows dos cantores que gosto, mas recomendaram o We Are Kazeyomi da Maaya Sakamoto, e gostei bastante! Principalmente porque ela canta várias músicas “das antigas” como Gift, Yakusoku wa Iranai, Mameshiba, Platina… E é claro, ela que vai cantar a abertura do anime de Kobato, que estréia em outubro.

Do As Infinity – ∞1

Van e Ryo

Saiu o novo single do Do As Infinity: ∞1; o primeiro single após a volta da banda. Você pode baixar no JPOPSUKI em 160kbps ou 320kbps ou nos links fornecidos pelo pessoal do MugenDAI.

O single está muito bom! Como é bom ter o DAI de volta =) Alguns comentários inúteis das faixas:

  1. 生まれゆくものたちへ (Umareyuku Monotachi e): uma faixa mais tranquila, legalzinha
  2. メラメラ (Meramera): muito boa, o baixo é excelente, lembra um pouco as músicas animadas do Suga Shikao.
  3. Timeless: nessa a guitarra rouba toda a cena, o Ryo destruindo como sempre.
  4. Let’s get together at A-Nation: essa é uma faixa bizarra com direito a voz metalizada da Van. Não gostei muito, mas as outras já fizeram valer e muito o single.

As letras você pode conferir no mesmo post do MugenDAI.