Adeus, Michael Crichton ;_; (e divagações sobre ceticismo)

O Michael Crichton morreu. D:

Para quem não conhece, ele é o criador do seriado E.R. (Plantão Médico) e escritor de vários livros, muitos deles adaptados em filmes como Parque dos Dinossauros, Congo, Assédio Sexual, Esfera e Linha do Tempo.

Michael Crichton

Eu sou fã dele desde que li Mundo Perdido, ainda antes do filme sair. Logo fui comprando os outros livros dele e gostei de todos. O aspecto mais interessantes das obras é como todas são parcialmente baseadas em coisas reais — você nunca sabe onde acaba a realidade e começa a ficção.

Nos últimos anos ele se envolveu em algumas polêmicas, principalmente por causa do seu livro Estado de Medo. Esse livro é uma obra de ficção que envolve o aquecimento global, em especial em como a justificativa de que ele é causado pelo homem pode ser uma farsa. Mas o problema é muitos não conseguem separar o que ele diz no livro e o que ele acredita (justamente pelo o que falei: não dá pra saber onde acaba a ficção). Crichton, apesar de ter uma visão menos ortodoxa sobre o assunto, acreditava que não há consenso sobre ele e que mais pesquisa deve ser feita; coisa que pouca gente pode negar.

Um outro ponto muito curioso, especialmente para mim, é o seu livro Álbum de Viagens. Esse é um livro auto biográfico onde ele conta sobre algumas viagens pelo mundo (muito interessantes) e diversas experiências, algumas delas envolvendo coisas como entortamento de colheres, canalização de espíritos, conversar com plantas e coisas do tipo. Eu, sendo o sr. cético que sou, tive bastante dificuldade de engolir tudo isso. Ele está mentindo, ou isso realmente existe? É fácil desdenhar o testemunho de um zé qualquer, mas e quando é de um autor que você gosta e respeita?

Não tenho resposta para isso. Não quero acreditar que ele está mentindo, mas também não consigo acreditar nessas coisas. Meu ponto de vista atual é que deve haver alguma resposta plausível para tudo isso (no que Crichton também acreditava).

Uma coisa que não concordo com os céticos atualmente é como eles desdenham toda e qualquer experiência sobrenatural. Não me interpretem mal, eu não acredito nelas. Mas ignorá-las por completo não é a atitude de alguém que pensa cientificamente.

Por exemplo, sei lá, considere “O Milagre do Sol” que aconteceu em Portugal, onde mais de 50.000 pessoas supostamente viram o Sol girando no céu e outras coisas bizarras. A explicação religiosa é que houve um milagre, o aparecimento de Jesus, virgem Maria e cia. A explicação “científica” é que foi algum fenômeno meteorológico ou uma alucinação coletiva. Agora, sinceramente, qual das explicações é mais plausível? Para mim, as duas são extremamente pobres. Sim, a mais plausível é a científica, mas ela isso não muda o fato que ela é extramamente fraca.

E o mesmo acontece com muitas outras coisas: UFO’s (qual é a conspiração mais mirabolante: que são alienígenas e tudo é encoberto pelos governos, ou que toda e qualquer foto, filme ou testemunho é montagem, mentira, ou alucinação?), espíritos, milagres, etc.

Infelizmente existe uma carência de estudos nessas coisas, mas o preconceito contra elas é enorme (quem vai patrocinar um estudo desses?). Eu acredito que há uma explicação perfeitamente lógica para todas elas, mas não sabemos qual é! E isso eu considero muito frustrante. Duas frases do Carl Sagan (outro excelente autor que me influenciou muito) resumem bem a situação: “Afirmações extraordinárias requerem evidências extraordinárias”, mas “ausência de evidência não é evidência da ausência”.

Enfim, voltando da divagação, esse livro me fez pensar nessas coisas. Em geral, os livros o Crichton fazem você pensar em várias coisas, e esse é o grande motivo pelo qual gosto tanto dele. É triste pensar que nunca mais lerei um livro dele… (*pesquisa* se bem que vão publicar um livro postumamente!)

Você pode comparar preços dos livros de Crichton no BuscaPé (não, não é um link patrocinado). Recomendo todos, em especial os mais antigos. Se você gosta de ficção científica, recomendo O Enigma de Andrômeda, Esfera, Parque dos Dinossauros, Mundo Perdido, Linha do Tempo, e Presa. Se gosta de thrillers mas sem coisas (muito) mirabolantes, recomendo O Homem Terminal, Sol Nascente, Armadilha Aérea, e Assédio Sexual.

2 comentários sobre “Adeus, Michael Crichton ;_; (e divagações sobre ceticismo)

  1. R.I.P. Michael ;____;

    O Jinn me fez ficar viciada nos livros dele. E realmente nunca se sabe oq é ficção e oq não é em seus livros. E isso acaba fazendo você pensar e viajar na maionese sobre diversas coisas.

    Quando terminei de ler ‘Presa’ eu e o Jinn ficamos quase 1 hora discutindo sobre nanotecnologia *mesmo sem ter conhecimento profundo do assunto* e matrix e ter a consciencia dominada por outra coisa….meu….é muito doido o_O

    Ler Michal Crichton é viajar sem precisar de drogas XD

Deixe uma resposta